09 janeiro, 2018

Aula de robótica aumenta conhecimento dos alunos


Aprenda a utilizar a robótica como aprendizagem significativa em projetos multidisciplinares

O cinema já mostrou. Os jornais estamparam. Os livros já discutiram. Muitos filmes, obras literárias e reportagens já retrataram a relação dos seres humanos com os computadores e outras máquinas. Assim como no cinema e na imprensa, não raras vezes, essas máquinas se tornam mais atraentes que todo o conhecimento que o professor pode passar em sala de aula, ou o uso delas substituem momentos de uma boa conversa entre amigos, ou ainda, prejudica o aprendizado de questões importantes para a formação dos alunos, como resiliência, criatividade e trabalho em equipe.

Mas a tecnologia não é só inimiga, pelo contrário. Se bem utilizada no contexto educacional, ela pode gerar impactos assertivos para a formação de nossas crianças e jovens. Uma maneira muito eficiente de usar “as máquinas” a favor dos alunos é a Robótica Educacional Expoente, que utiliza computadores e atividades para a construção de mini-robôs e/ou maquetes com movimentos. Tudo isso com materiais recicláveis e muita pesquisa.

Aliando a teoria à prática, a Robótica é capaz de desenvolver nos alunos muitas competências, reforçando alguns conceitos, tais como: autodesenvolvimento, capacidade de solucionar problemas, senso crítico, integração de disciplinas, exposição de pensamentos, criatividade, autonomia, responsabilidade e postura empreendedora. O fator motivacional também pode ser destacado entre os itens de maior relevância entre os alunos.

Papel do professor

Nesse contexto, o professor tem a tarefa de incentivar os alunos, coordenar as equipes e mediar esse processo de aprendizagem. Instigando os alunos a sempre melhorarem, controlando o tempo e a qualidade.

A avaliação é feita no decorrer do processo. O importante é saber se o aluno tentou, se empenhou, se interessou. A riqueza está nas tentativas para gerar o aprendizado. “O principal ganho é o envolvimento dos alunos para o trabalho em equipe. Eles aprendem e ensinam os colegas. A construção da maquete é deles”, explica o professor Edson Roberto Cassilha Jr. que trabalhou com o projeto da solução educacional: Robótica Expoente.

Os pais também comemoram. “É muito interessante, pois entra no mundo dos adolescentes. Ele precisa ter um chamariz, precisa ser desafiado a estudar e a produzir. As aulas de Robótica eram as melhores para ele [filho]. Acho que esses projetos tornam a escola viva. Abrem para a comunidade, os pais vêm para a escola, os alunos explicam e se interessam”, conclui mãe do Gabriel, Raquel Neuwert.



Programação

A ideia, que é defendida por muitos pedagogos e executivos de tecnologia, confirma que o mundo está se tornando cada vez mais digital e é imprescindível saber interpretar e escrever códigos da linguagem digital. Para tornar essa tecnologia mais acessível às escolas conveniadas das redes privada e pública, a Robótica Expoente disponibiliza kits nas versões: aluno e escola, e capacitação dos professores para orientação teórico-metodológica e execução dos projetos. Além de cabos, lâmpadas e motores específicos, os kits contêm manuais detalhados para o correto uso pedagógico da ferramenta e uma placa Arduino, com a qual é possível manipular entradas e saídas que se comunicam com o computador.

De acordo com Maurício Gebran, consultor do Grupo Expoente e mestre em engenharia da produção com ênfase em mídia e conhecimento, o sistema já passou por todas as fases de testes e foi aprovada pelos profissionais. “Essa solução foi desenvolvida por uma equipe técnico-pedagógica especializada, e já foi testada e aprovada em nossas unidades de ensino”, confirma o professor. Direcionada às turmas do Ensino Fundamental, a Robótica Expoente pode ser aplicada de maneira curricular ou extracurricular, envolvendo diversas disciplinas, como Arte, Geografia, História e Física, entre outras. “É uma inovação colocada ao alcance de todas as escolas, que precisam acompanhar os avanços tecnológicos e preparar seus alunos para a vida”, finaliza Gebran.

Robótica é importante para

● aulas mais dinâmicas e interativas;

● desenvolver nos alunos autodesenvolvimento, capacidade de solucionar problemas, senso crítico, integração de disciplinas, exposição de pensamentos, criatividade, autonomia, responsabilidade e postura empreendedora;

● estimular os alunos a buscarem soluções que integram conceitos e aplicações de outras disciplinas envolvidas, como Matemática, Física, Mecânica, Eletrônica, Design, Informática;

● o mercado de trabalho futuro;

● desenvolver a comunicação interpessoal e a oratória;

● a construção do conhecimento;

● incentivar a consciência ambiental, pois o projeto do Expoente utiliza materiais recicláveis.

Da teoria à prática

A solução inovadora apresentada atualmente pela Robótica Educacional Expoente foi desenvolvida pela Empresa Júnior do curso de Sistemas de Informação da extinta Faculdade Expoente, em Curitiba (PR). Durante um ano, sob orientação do professor Maurício Gebran, os acadêmicos Luana Oliveira, Edson Prokot e Guilherme Scandelari pesquisaram e desenvolveram uma metodologia de robótica educacional para o Ensino Fundamental, utilizando o software Scratch e o hardware Arduino. O resultado foi implantado nas Unidades Expoente Água Verde e Boa Vista, sendo testado e aprovado para o uso em escolas de todo o país.

Fases dos projetos de Robótica:

1ª Escolha do tema e elaboração da pesquisa.

2ª Trabalho em equipe e produção da maquete, com diário de bordo.

3ª Preparação e apresentação ao público do protótipo (maquete) em uma Mostra de Robótica para expor os resultados.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Digite o que procura e pressione Enter para pesquisar